top of page

Pseudomundos (parte 1)

Hoje Coisa de criança começa a contar uma história que ainda não sabe como vai terminar. Estamos escrevendo aqui neste blog, enquanto você lê. Pode ser que não cheguemos a lugar nenhum. Pode ser que a história fique sem pé nem cabeça.

Quando escrevemos, às vezes sabemos o começo, o meio e o fim. Aqui decidimos começar só com uma ideia, na verdade, uma palavra que surgiu do nada: pseudomundos.

Onde ela vai nos levar? Não sabemos. Quer acompanhar?

Se quiser participar, mande sugestões de caminhos. Quem sabe não se encaixam direitinho na história?

O e-mail do blog é:

blogcoisadecrianca1@gmail.com

A história começa assim:

O menino, numa reunião virtual com dois amigos, disse:

– Com três sílabas consigo inventar um mundo.

O espanto foi geral. Os dois que ouviram o que o amigo disse estavam há mais de um ano trancafiados em casa, procurando coisas para fazer em todos os cantos e profundamente entediados com tudo: brinquedos, coisas, programas, livros…

Enquanto isso, pensaram, aquele sortudo visitando mundos novos. Como podia ser isso?

A pergunta quase escapuliu das bocas que sorriam meio amarelo. A sorte é que, pela tela do celular, era mais fácil esconder as reações. Ninguém sabia quem estava olhando para quem.

O mais desconfiado dos três então perguntou:

– Como você faz?

Ao que o menino, abrindo um grande sorriso, segredou, quase num sussurro:

– Eu invento.

– Inventa o quê? – disse o amigo que estava quieto até aquele momento, só ouvindo e invejando os outros dois.

– Invento palavras.

(fim da Parte 1)

Poesia visual X Poesia concreta

Tenho viso em algumas publicações e materiais que circulam nas escolas que o termo poesia concreta é usado como sinônimo de poesia visual. Tratam-se, no entanto, de dois conceitos, ou duas classificaç

Como fazer um poema visual infantil (parte 1)

Vou começar com este artigo uma série de reflexões sobre poemas visuais infantis. Não quero com isso esgotar o assunto, mas provocar o leitor a pensar e a ler melhor o poema visual. Mais do que o poem

ความคิดเห็น


bottom of page