-Nem vem, Nicolai.

-Ué, não gosta de desafios, Anina?

-Mas não assim.

-Assim como?

-Assim, do tipo impossível.

-Não é impossível.

-Não?! Você está me dizendo que atravessar o planeta Terra não é impossível?!

-Exatamente.

-Como você sabe?

-Meu pai já foi e voltou -disse Nicolai com orgulho.

-Mas deve ter demorado -Anina estava desconfiada.

-Um pouquinho.

-Quanto?

-Um ano.

-O quê?! Isso não é pouquinho, Nicolai.

-Depende.

-Depende do quê?

-De quantos anos você tem.

-E quantos anos tem seu pai?

-Cento e quarenta e sete -disse Nicolai estufando o peito.

-O meu tem cem.

-Então…

-Acho que é por isso que ele ainda não atravessou a Terra -interrompeu Anina.

-Não é um desafio pra qualquer um, Anina.

-Meu pai tem coragem!

-Mas você não -disse Nicolai.

-E daí?

-Daí que você é medrosa.

-E você também.

-Mas eu vou. Você é que está com medo.

-E quando você vai?

-Quando eu tiver mais poderes.

-Mentira. Você tem medo!

-Shhh! Se mudar de ideia, me chama, Anina.

-Eu, hein!? Não quero a companhia de heróis de meia tigela.

-Eu tenho poderes!

-Quais, Nicolai?! Eu nunca vi.

-Outra hora mostro pra você. Minha mãe está chamando.

-Eu é que tenho poderes -disse Anina.

-Duvido, Anina.

-Sei ler pensamentos.

-Impossível. É mentira sua.

-Por quê? Conheço outros, menores que você que já têm poderes.

-Mas eu tenho, só preciso de mais alguns.

-Será, Nicolai?

-Certeza. Depois mostro…

-Se você conseguir seus poderes, atravesso a Terra com você.

-Sério?!

-Sério. Desafio aceito, Nicolai.

-Mas…

-O que foi, Nicolai, achou que eu não aceitaria?

-É perigoso, Anina. Pense melhor.

-E daí que é perigoso?

-E demora. Meu pai demorou muito.

-Mas não foi divertido?

-Claro.

-Então pronto. Está combinado, Nicolai.

-Tá bom… .Combinado, Anina.

Nicolai então foi voando para casa cabisbaixo enquanto Anina ficou sorrindo cavoucando a terra com um graveto.



Você conhece crônica? Escrever crônica não é fácil. É um gênero de texto que exige uma certa intimidade com as palavras e um jeito especial de ver as coisas que acontecem ao nosso redor e, ainda, ter