top of page

A poesia visita as fábulas

Em linhas gerais, a fábula é uma narrativa que aproveita as características atribuídas aos animais para retratar, discutir ou questionar o comportamento humano universal.

Nesse sentido, a raposa é sempre esperta, a formiga, trabalhadora, o macaco, travesso etc.

Esses universais são reconhecidos pelo leitor e explorados em histórias que geralmente terminam em lições, também chamadas morais (a moral da história) ou ainda provérbios, como preferem alguns.

Brincar com essas lições, foi o caminho encontrado pelo Coisa de Criança para renovar e representar as mensagens, muitas vezes já desgastadas ou transformadas em lugares comuns cujo efeito sobre o leitor está amortecido.

No Instagram deste blog, @coisadecrianca_blog, foram publicados alguns poemas curtos que agudizam as morais ou retomam a história conhecida para provocar a criança a enxergar com novos olhos o que é narrado.

Foi assim que a série Poeminhas eFABULAdos surgiu. Uma publicação com poemas que complementam os já publicados está sendo produzida.

Esperamos que os jovens leitores descubram ou redescubram as fábulas e tudo que trazem de divertido e importante sobre a natureza humana.

Um desses poeminhas diz assim:

Outro remete ao universo da fábula em geral:

Não deixe ler neste blog a versão versificada de A princesa e o sapo, feita a partir da tradução direta do alemão para o inglês da versão original dos irmãos Grimm.

Se preferir, ouça a leitura da versão completa no podcast Você já imaginou?, disponível no Spotify, Google, castbox e outras plataformas.

Poesia visual X Poesia concreta

Tenho viso em algumas publicações e materiais que circulam nas escolas que o termo poesia concreta é usado como sinônimo de poesia visual. Tratam-se, no entanto, de dois conceitos, ou duas classificaç

Como fazer um poema visual infantil (parte 1)

Vou começar com este artigo uma série de reflexões sobre poemas visuais infantis. Não quero com isso esgotar o assunto, mas provocar o leitor a pensar e a ler melhor o poema visual. Mais do que o poem

Comments


bottom of page