top of page

Um segredo melequento

Era uma vez uma geleca que sozinha vivia sua melequice.

Ela andava feliz, apesar de não saber onde ficava seu nariz.

Para frente ou para trás, arrastava a sua meiguice.

Ela não tinha forma, era uma gosma só.

Virava e revirava nas mãos dos pequenos, que a recheavam de coisas sem dó.

Ela adorava e rodopiava. Até que escapulia provocando gritaria.

Mas o que pouca gente sabia é que ela tinha uma história secreta.

A danada da geleca tinha vindo do mundo dos unicórnios.

E enquanto todos achavam que ela era o cocô do cavalo com chifre.

Ela hipnotizava os pequenos, melecando suas ideias.

Era quando aproveitava para revelar seu verdadeiro nome. Apresentava-se então como Sra. Slime.

Assim mesmo. Sem vergonha de falar diferente: e-s-l-a-i-m-e.

Ela achava que o nome estrangeiro era mais chique que geleca. Pode?

Pode. Cada um tem lá suas preferências.

O que importa mesmo é que dizem que as crianças com as ideias mais melecadas pela Sra. Slime podem ver os cavalos mágicos.

Você acredita?

Bom. Essa já é outra história…

Eu só sei que, se a misteriosa melequenta tivesse boca, tenho certeza de que agora a ouviria gargalhar da bagunça que deixou na sala de estar.

O PRÍNCIPE SAPO ou A PRINCESA E O SAPO

O PRÍNCIPE SAPO (este texto pode ser ouvido no podcast VOCÊ JÁ IMAGINOU?) O SOL SE RETIRAVA E A MENININHA ATRAPALHADA ENFIAVA SEUS BRINQUEDOS NA MOCHILA ESTAMPADA. NA CABEÇA, A APRESSADA LEVAVA A COR

bottom of page