O PRÍNCIPE SAPO ou A PRINCESA E O SAPO


O PRÍNCIPE SAPO


(este texto pode ser ouvido no podcast VOCÊ JÁ IMAGINOU?)

O SOL SE RETIRAVA E A MENININHA ATRAPALHADA ENFIAVA SEUS BRINQUEDOS NA MOCHILA ESTAMPADA.

NA CABEÇA, A APRESSADA LEVAVA A COROA DOURADA. APERTA DAQUI EMPURRA DALI E A JÓIA PULOU INVOCADA.

ROLOU… ROLOU… E TCHUB! FEZ NA ÁGUA DO LAGO PROFUNDO. HÁ QUEM OUVIU UM ADEUS, SONHO DE GRANDEZA, ADEUS.

ENTÃO A MENINA, ATORDOADA, PASSOU A CHORAR AJOELHADA COMO SERIA AGORA SUA VIDA? PERGUNTAVA OLHANDO PRO NADA.

CHORAVA TANTO A JOVEM NOBRE QUE NEM REPAROU QUANDO O SAPO COLOCOU SEU PAPO ENORME PRA FORA DA ÁGUA PARADA.

-POR QUE CHORA, BELA PRINCESA? E, SEM OLHAR, TODA ATARANTADA, A MENINA CONTOU A HISTÓRIA DE COMO PERDEU SUA NOBREZA.

-ORA, PEQUENA PRINCESA, POIS LHE BUSCO SUA COROA. NUM MERGULHO VOU E VOLTO E LHE DEVOLVO SUA NATUREZA.

TÃO FELIZ FICOU A PEQUENA QUE ENSAIOU UM BEIJO ESTALADO NAQUELE QUE LHE PROMETIA MUITO MAIS QUE A ALEGRIA.

MAS, QUANDO OLHOU PARA O HERÓI, VIU APENAS SUA PELE GOSMENTA E ACHOU QUE NÃO ERA O CASO DE PRINCESA DAR BEIJO AO ACASO.

O SAPO NÃO SE IMPORTOU. NUM MERGULHO FOI E VOLTOU TRAZENDO PRA JOVEM PRINCESA SUA COROA E SUA NOBREZA.

-DOU-LHE O QUE QUISER, MEU AMIGO, QUALQUER COISA QUE LEVO COMIGO NESTA MOCHILA ESTAMPADA ABARROTADA DE SONHOS DE FADA.

-NÃO QUERO O QUE LEVA CONTIGO- RESPONDEU O SAPO A SORRIR. -SÓ QUERO COMIDA E ABRIGO, CARINHO E UM LUGAR PRA DORMIR.

A PRINCESA NEM ESPEROU O SAPO COMPLETAR A FALA PRO CASTELO SAIU EM DISPARADA FUGINDO DE QUEM A SALVOU.

PORÉM, DURANTE O JANTAR COM O REI, NA PORTA CHEGOU ALGUÉM. TRÊS BATIDAS FORAM OUVIDAS E UM PLOFT PLUFT TAMBÉM

-ORA, QUEM PODE SER A ESTA HORA? PERGUNTOU O REI INTRIGADO. A PRINCESA, OLHANDO DE LADO, AFUNDOU O NARIZ NO PRATO.

-DEVE SER O SAPO, PAPAI, SOLTOU A MENINA ENCABULADA. -VEIO COBRAR O QUE LHE PROMETI. ACHEI QUE ELE NUNCA CHEGARIA AQUI.

-FILHA, NÃO ESCONDA NADA. NÃO VAMOS DEIXÁ-LO NA ENTRADA. CONTE TODA A HISTÓRIA, PRINCESA. EXIGIU O PAI COM VOZ DE REALEZA.

E A MENINA CONTOU DA COROA QUE TINHA CAÍDO NA LAGOA E COMO O SAPO A AJUDARA A RECUPERAR A SUA JOIA RARA.

-POIS QUE ENTRE O AMIGO SAPO! DISSE O REI PEDINDO MAIS UM PRATO -AGORA, FILHA, CUMPRA O QUE PROMETEU, POIS ELE A COROA JÁ LHE DEVOLVEU.

ENTÃO A ENORME PORTA RANGEU DEIXANDO O HERÓI ENTRAR. E, COM DOIS PULOS DE SAPO, ELE ALCANÇOU A COMIDA NO PRATO

A MENINA COM A CABEÇA COROADA DE OLHOS FECHADOS ESPERAVA O SAPO QUE SE EMPAPUÇAVA. “QUE NOJENTO!”, ELA PENSAVA.

DE PAPO CHEIO E REALIZADO O HERÓI SAPO PEDIU ABRIGO: -PRINCESA, LEVE-ME CONTIGO DEIXE-ME FICAR UM POUCO AO SEU LADO.

PARA O REI, A MENINA OLHOU, MAS SEU PAI NÃO ALIVIOU. -PRINCESA, TODO O COMBINADO DEVE SER CUMPRIDO COM CUIDADO.

A PEQUENA, DE BICO ARMADO, LEVOU NA PALMA DA SUA MÃO AQUELE SAPO COMILÃO PARA SEU QUARTO ADORADO.

COM O BALANÇO, O VERDE HERÓI CAIU NUM SONO RONCADO. SÓ ACORDOU QUANDO LARGADO ENTRE OS BRINQUEDOS QUEBRADOS.

-O QUE É ISSO, PRINCESA? COAXOU O SAPO IRRITADO- NÃO SOU BRINQUEDO MONTADO. MENINA, ONDE ESTÁ SUA NOBREZA?

A PEQUENA ENCABULADA PREFERIU NÃO DIZER NADA. PEGOU O BICHO COM CUIDADO E O COLOCOU BEM AO SEU LADO.

NA ALMOFADA PERFUMADA, ELE DORMIU FEITO UMA PEDRA. A PRINCESA PREFERIU MONTAR GUARDA ACORDADA.

MAS QUE NADA! EM MINUTOS JÁ DORMIA. ENCOLHIDA NO PIJAMA DE FLANELA ACORDOU COM A LUZ DO DIA QUE ENTRAVA PELA JANELA

NA SUA FRENTE, O HERÓI SAPO JÁ NÃO RONCAVA NA ALMOFADA. NEM NA CAMA, NEM NO QUARTO. ONDE ESTÁ? PERGUNTOU-SE INTRIGADA.

ESPREGUIÇAVA-SE TRANQUILA QUANDO VIU ALI AO LADO. AO PÉ DA CAMA ESTIRADO UM RAPAZ BONITO ENCOLHIDO

SEGURANDO O GRITO DE SURPRESA A PRINCESA PERGUNTOU: DIGA QUEM É VOCÊ, POR FAVOR, COMO PELOS GUARDAS PASSOU? NÃO SE LEMBRA DE SEU AMIGO? VOCÊ ME TROUXE ONTEM, PRINCESA. FUI EU QUE RESGATEI SUA NOBREZA EM TROCA DE UMA NOITE DE ABRIGO.

A PRINCESA, TODA ATRAPALHADA, TENTOU EXPLICAR QUE AQUELE NÃO SE PARECIA COM ELE. O HERÓI ERA UM SAPO QUE COAXAVA.

-SOU EU MESMO, NOBRE PRINCESA.- DISSE O RAPAZ CHEIO DE ALEGRIA -O ABRIGO QUEBROU A MAGIA E ME DEVOLVEU MINHA NATUREZA.

A CABEÇA DA PRINCESA COM AS IDEIAS JÁ CONFUSAS FICOU AINDA MAIS DESNORTEADA AO VER UMA CARRUAGEM NA ESTRADA.

OLHANDO PELA JANELA, PERGUNTOU ENTÃO A BELA: -QUE NOBRE VEM AGORA ENTRANDO PELA VIELA?

COM UM SORRISO DISSE O RAPAZ: -VIERAM ME BUSCAR, PRINCESA, VOU VOLTAR PARA MEUS PALÁCIOS, MINHAS TERRAS, MINHA PAZ.

A MENINA NÃO CONSEGUIU ESCONDER TANTA SURPRESA POIS QUE O SAPO ALÉM DE HOMEM TINHA NO SANGUE NOBREZA?

-VENHA COMIGO, MINHA PRINCESA, CONHECER OS MEUS PALÁCIOS. DISSE ELE COM UM SORRISO NOS LÁBIOS ESTENDENDO A MÃO COM DELICADEZA.

A MENINA NÃO DEMOROU PARA O CONVITE ACEITAR. NA MÃO DO PRÍNCIPE PEGOU E COM ELE PARTIU A GARGALHAR.

ENGRAÇADO É QUE A PRINCESA NEM UM POUCO DE NOJO TEVE AO SEGURAR NA MÃO DO SAPO QUE REVELOU SUA NOBREZA.

#fabula #HISTORINHA #podcast #versinhos #vocejaimaginou

Você conhece crônica? Escrever crônica não é fácil. É um gênero de texto que exige uma certa intimidade com as palavras e um jeito especial de ver as coisas que acontecem ao nosso redor e, ainda, ter